Os nove anões (Nanicões)

Caros amigos do Blog EU, RADAMÉS Y PELÉ, principalmente os saudosistas, é o seguinte. Este post não iria sair, mas não consegui ir dormir em paz sem falar desse assunto, que me incomoda de uma tal forma tal qual uma incessante etiqueta na nuca em uma camiseta nova.

Hoje a tarde, saiu na imprensa a relação dos doze estádios da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Copa esta, que irá suceder a nossa, em 2014 e, confesso: não gostei nem um pouco. Não dos estádios, mas de um “pequeno grande detalhe” que 9 dos 12 tem. Ou melhor, não tem.

Eu explico: como não é nenhuma novidade para vocês, sempre fui um defensor ferrenho de grandes Arenas (mesmo nas modernas), com capacidade clássica, na casa de 60.000, 80.000 ou até acima dos 100.000, sejam elas no Brasil, na Rússia ou sabe Deus aonde. Sou a favor de pecar por excesso do que por omissão.

Como corinthiano catedrático, me chateia pra cacete ver a Arena Corinthians (nosso exemplo do post) ser construída pra Copa do Mundo, e com a possibilidade de ficar com apenas 48.000 lugares, e não 70.000 como na Copa (a capacidade real segue em estudo dentro do clube).

Não, não me venham com papinho de média de público, de paixão do  país pelo esporte, de elefante branco (embora esse termo não caiba para o Corinthians de forma alguma). Até chamo o estádio carinhosamente e de forma relativamente pejorativa de “Nanicão”. Não entra na minha cabeça um estádio pro Corinthians com essa capacidade. mas o tema do post não é o Timão.

E eis que vejo os tais estádios da Copa do Mundo da Rússia e uma surpresa triste pros fãs de grandes Arenas, como Maracanãs, Morumbis e Mineirões: 9 dos 12 estádios russos serão MENORES que a Arena Corinthians MESMO SEM AS MÓVEIS.

Já não bastam as outras duas violências contra o Futebol já amplamente comentadas nestes quase dez meses de Blog, (no caso, os jogos com as malditas Torcidas Únicas e os clássicos com 90% x 10%), agora noto que estamos diante de outra praga: os Nanicões.

Nanicões: termo usado para designar Arenas inferiores a 50.000 lugares, que parecem grandes, mas perto de outros, são nanicas.

Estádio de Saransk, pra Copa de 2018. Maravilhoso, porém nanico. Apenas 45.000 lugares.

Estádio de Saransk, pra Copa de 2018. Maravilhoso, porém nanico. Apenas 45.000 lugares.

Caras, vocês tem noção do que é isso ? Eu achava que se tratava de uma elitização, e até certo ponto uma “higienização” (leia mais sobre o termo em notícias da política de alguns anos atrás) que se fazia necessária pra Copa do Mundo de 2014, mas eu começo a achar que não.

Vejo que a maldita mania de reduzir tudo pra 35.000 a 45.000 pessoas está ganhando o mundo. Estão invertendo o processo. No meu tempo, era gigantismo, depois buscava o povo. E funcionava relativamente bem, tanto no Brasil como lá fora.

Hoje virou nanicolismo, pra garantir aquela pequena quantia. Ou seja, é ridículo. Um pensamento pequeno, medíocre, tanto de brasileiros como de russos, e que não acredita no desenvolvimento econômico e social dos países.

Nota: perceba que tanto Brasil como Rússia, fazem parte do BRIC, países com enorme potencial para desenvolvimento, onde tudo isto refletiria diretamente no Futebol e demais manifestações populares de cada país.

É óbvio que o potencial de se encher os estádios varia de país para país, seus interesses pelo esporte e seu poderio econômico (daí entra ingresso, condução, custo de vida, milhões de fatores), mas, por mais que sejamos pessimistas, os estádios estão pequenos pra cacete. Estão mais bonitos, é verdade. Mas estão sim, nanicos.

Triste. Dói o coração ver acontecer mais esse crime contra o esporte. Estamos indo na direção certa em alguns aspectos e na direção errada em outros. Torço e faço côro pra que essa Copa do Mundo de 2014 e o que virá após a mesma, sirva de alerta sobre o tamanho de alguns estádios, que podem sim, ser maiores.

Que a procura seja muito, mas muito maior do que os estádios suportem. Quem sabe assim, a gente possa ver ampliações para a casa de 55.000, 70.000, 80.000 (vai, não precisa ser gigantão como o Camp Nou ou o Azteca. Apenas ser um pouquinho maior do que estão). Mas, do jeito que está, tá complicado. E bastante incômodo.

Resumindo, o que o Futebol está fazendo com si mesmo é como eleger uma Miss Universo Anã.

Complicado. Bastante complicado.

Até mais !

Luís Butti
Twitter: @luisbutti

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s