Copa do Mundo 2014 – Você me abre seus braços….e a gente faz um país

Salve rapazeada do Blog EU, RADAMÉS Y PELÉ, conforme prometido, se o Post sobre os Estádios na Era Copa do Mundo rendesse, o assunto Copa 2014 ganharia continuidade em novas postagens. E o assunto rendeu e, com justiça, ganhou uma segunda parte.

Hoje, irei abordar uma parada, que é um fator que pouca gente tá falando. Muito se fala de FIFA, de Governo, de Organizacão da Copa, de Política, mas pouco se pensa que o próprio brasileiro pode sim, ser um ponto crucial de mudança do país para os anos dourados do esporte que se aproximam por aqui, com Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas 2016, mais precisamente o Futebol Olímpico, que é a nossa área do Blog.

Um grande clássico do Rock Nacional dos Anos 80 me inspirou a escrever sobre isso: a canção “Fullgaz”, de Marina (hoje, Marina Lima), no álbum homônimo de 1984, traz o verso que dá nome a este Post e refaz a questão: Se o auge da década esportiva acontece no Rio de Janeiro, aos olhos do Cristo Redentor que abre seus braços, bora fazer um país ?

Só nós, sem esperar por autoridades.

MOBILIZAÇÃO POPULAR

Ok, a Copa do Mundo 2014 vem aí, e talvez alguém pense: “o que eu tenho a ver com isso ?”. Tudo, cara pálida. Queira ou não, goste você ou não, o teu país é a vitrine internacional, estamos vivendo um Boom Econômico, muito próximo de entrar no Top 5 do PIB Internacional e temos pouco mais de dois anos para transformar isto aqui num novo país, independente de políticos, no que tange a comportamento, educação, cultura e etiqueta.

A primeira pergunta a fazer é perante a sua educação e cultura. Você se sente REALMENTE educado e com cultura suficiente para tratar um turista ?

Sabe a diferença entre um sueco e um finlandês ? O que muda de um senegalês para um nigeriano ? Entende que um turista malaio é diferente de um turista japonês e que “olho puxado” não significa que todos são iguais ? Demonstrar desconhecimento ou afirmar que o turista de país X é quase a mesma coisa que um turista de um país Y,  pode causar um desconforto social tremendo.

Eu recomendo que você estude bem sobre os países (mesmo que suas seleções não venham a Copa, sempre um ou outro vem assistir), e se possível, o básico de suas línguas, culturas e história. Veja do que eles gostam. O que os ofende. O que os anima e infla o ego. Pega bem. É educado. Melhora e muito a nossa imagem no exterior. Porque, não parece. Mas depois que terminar a Copa do Mundo, eles vão sim, comentar entre muitos amigos. Bem ou mal.

Outra coisa que é extremamente dispensável é essa historinha de que “eu sou contra a realização de Copa do Mundo no Brasil porque dinheiro X é gasto em estádio e poderia ir pra outros locais”. Meu amigo, saiba que você vive num país democrático. E esta Democracia escolheu um Presidente, que, com apoio maciço da populacão (mais uma vez, um ato democrático), conseguiu trazer pra cá uma Copa do Mundo de 2014.

Se você é contra tudo isso, lamento, suas reclamações não procedem e também não passam de um mimimi barato que não cabem no momento. Pare de remar contra. Se realmente não quer, faça o favor de ir embora para o exterior e não atrapalhar quem luta por um país melhor independente de opção política.

Quero trabalhar voluntariamente na Copa. O que faço ?

O melhor a fazer é procurar a Federação de Futebol de seu estado. É o órgão mais próximo a FIFA que você tem Acesso, e descubra como ser um voluntário FIFA. Não conseguiu vaga de voluntário na FIFA ? Seja voluntário por você mesmo. Seu bairro é ponto de turistas ? Esteja preparado para abordar turistas que, procuram por informações no local.

Tradutores para trabalhar ao lado de taxistas ou ônibus de linhas também costumam ser bem-vindos e pode ser um filão pouco descoberto aqui no Brasil. A maioria dos taxistas ou motoristas de ônibus não são bilíngues, e isso pode pesar contra eles.

Agora, se você fala uma língua estrangeira, comunica-se bem, pode ser um elemento bastante útil no transporte público. Outro filão interessante são Hotéis, principalmente os grandes, de rede, onde saem pacotes programados, e necessitam de pessoas prontas para isso.  Nos hotéis menores, também é possível essa interação turística, porém em menor intensidade. Você tem mais acesso, mas não é algo organizado. É mais “cada um por si”.

Estamos apenas no começo de 2012. Ainda dá muito tempo de fazer um curso se especializando para tal atividade. Em dois anos, você pode ficar apto para fazer um bico em grandes hotéis recebendo estrangeiros. Com certeza, eles vão precisar. Mão de obra útil e barata.

O Hotel Íbis, em Salvador. Hotéis de Rede são excelentes oportunidades para quem quer auxiliar turistas estrangeiros em pacotes turísticos.

O Hotel Íbis, em Salvador. Hotéis de Rede são excelentes oportunidades para quem quer auxiliar turistas estrangeiros em pacotes turísticos.

Não, eu não quero esperar a Copa. Quero ajudar agora.

Se você já quer fazer a sua parte desde já, o primeiro passo que eu tenho como sugestão são as Redes Sociais. Procure fóruns, twitters, Facebooks de Estrangeiros fãs de Futebol que pretendem vir a Copa 2014 e entre em contato, falando bem do Brasil, sugerindo passeios, fazendo aquela social e desmistificando aquele lance de que brasileiro costuma judiar de estrangeiro, o que infelizmente, costuma ser verdade. Precisamos acabar com isso.

Sabe fazer vídeos bacanas no Windows Movie Maker ou algum programa similar ? Faça um (ou mais) vídeo(s) em inglês (ou qualquer outra língua estrangeira) sobre o que o Brasil tem para oferecer de bom não apenas no Futebol, mas na Cultura Popular e Turismo e depois tente bombá-lo entre turistas. Certamente vão gostar.

É preciso tirar da mente do estrangeiro que o Brasil é só mulher, favela, cachaça, samba e futebol. E as Redes Sociais são grandes aliadas para mostrar o nosso país.  Outra coisa bastante interessante é passar a ser um pouco mais cidadão: respeitar filas e faixa de pedestre, as vagas para deficientes físicos em locais públicos, o aviso de não fumar em locais fechados, noção básica de higiene, comportamento e demais regrinhas de convivência.

As opções e oportunidades para se fazer um novo país nesta década esportiva são inúmeras. Milhões de oportunidades se abrem. Elas só não existem pra quem acha que a Copa do Mundo é tudo ruim, tudo roubalheira. Pare de reclamar. Viva um novo Brasil, que começa pelo povo, independente se a Política anda ou não.

Você me abre seus braços e a gente faz um país.

Você me abre seus braços e a gente faz um país.

Só depende de você. A Copa do Mundo de 2014 vem aí. E então, vamos fazer um país ?

Até mais !

Luís Butti
Twitter: @luisbutti

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s