Big Team

Pois é, meus amigos. Hoje eu vou pedir licença aos nossos amigos internautas torcedores de outros clubes, os quais tenho tatado com uma enorme atenção e carinho, mas hoje destinarei os dois posts a um clube só: ao clube deste que vos escreve.

Há doze anos atrás, o Sport Club Corinthians Paulista, deixava apenas de ser Timão para se tornar “Big Team”.

Não, o Brasil não mudou a sua língua oficial. É que o Corinthians, 12 anos atrás, se sagrava Campeão Mundial FIFA 2000, contra o Vasco da Gama no Maracanã. Era a internacionalização definitiva do clube do povo, embora este que vos escreve acredita que ela aconteceu mesmo foi na Democracia Corinthiana, em 1982/1983, mas isto é opinião e assunto para outro blog.

Após passar por Raja Casablanca do Marrocos, Real Madrid da Espanha (vide post da semana passada sobre o jogo) e Al Nasser da Arábia Saudita, o Corinthians cruzou na Final com o Vasco da Gama, que por sua vez, passava pelos australianos do South Melbourne, os mexicanos do Necaxa e pelos Campeões Mundiais da edição passada, os ingleses do Manchester United.

Estes eram os oito times, da provável mais forte e equilibrada edição do Mundial de Clubes da FIFA, embora as edições da antiga Taça Rio de 1951 e 1952 (vencidas por Palmeiras e Fluminense e consideradas o Mundial da época, para muitos ) também sejam bastante interessantes no que tange a clubes participantes e nível da mesma.

Mas, voltando a Decisão de 2000, havia uma certeza: diferente do que aconteceu em 1950 (ou melhor, não aconteceu), um goleiro negro brasileiro seria Campeão Mundial no Brasil.

Ou seria Dida, ou seria Hélton.
Coube ao primeiro o tal triunfo. Após empate de 0x0, Dida defendeu o pênalti de Gilberto, e, embora Marcelinho Carioca tenha desperdiçado o seu contra Hélton, assistiu o craque Edmundo mandar para a Lua o pênalti decisivo.

E pronto: o Timão virava Big Team.

Transmitido ao vivo para 63 países e Recorde de audiência na história da TV Bandeirantes, o Mundial de Clubes (especialmente a Final) também representa a maior derrota esportiva em audiência para a Rede Globo, que não conseguiu comprar os direitos da Bandeirantes, na época amparada pela fortíssima Traffic, que atua em contratos de Marketing Esportivo, e ficou de fora da transmissão, o mesmo que acontecerá nas Olimpíadas de 2012, 2016 e 2020 (Record comprou os direitos e exclusividade) e algumas rodadas da Taça Libertadores da América de 2012, pertencentes a recém-chegada no Brasil, Fox Sports.

Mas, particularmente, a narração que acho mais emocionante da conquista é esta aqui.

 

E já foram 12 anos. Salve, o Big Team, Paulista, Brasileiro e Mundial

O Hino do Corinthians em Inglês com a expressão que ilustra este Post, era imortalizado de forma fantástica em 2010, no Centenário do Clube. Gravado pelo músico flamenguista Leandrade para homenagear seu pai, corinthianíssimo, foi lançado nas festividades dos 100 anos.

Leandrade também gravou uma versão do Hino do Flamengo em inglês, a qual recomendo por igual.

 

Luís Butti
Twitter: @luisbutti

 

 

 

 

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Big Team

  1. João Paulo Morandi disse:

    Inesquecível Corinthians!!!!

    Inesquecível Fiel!! Naquela que foi a sua segunda invasão ao Rio de Janeiro!!!

    Corinthians!!! Primeiro Campeão Mundial Interclubes da FIFA!!!!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s